Vão® - em 12 de junho de 2008




Por vezes, gritei alto esperando que me escutassem.

Em vão. Nem sempre me atendem.

Tenho você, todo o tempo, pronta a me ouvir,

Mesmo quando falo baixinho.

Já tentei roubar risadas com minhas palhaçadas.

Em vão. Nem sempre entendem.

Seu sorriso nunca se esconde. É o que me encanta!

Quando triste, esperei por atenção.

Em vão. Nem sempre reparam. Nem sempre me vêem.

Suas mãos, suas palavras e até mesmo seu silêncio indicaram direção.

Quando tenho alegrias, eu sei a quem contá-las: à dona do meu coração.

Você, minha namorada, amor, amiga, presente de Deus,

É quem me escuta quando calo, quem me completa quando falto.

Por tudo isso e tanto mais, te amo!

Nunca em vão. Fim de papo.

Prisioneiro® - em 26 de Março de 2008


Passou por aqui um prisioneiro.

Escolheu ser cativo do mundo.

Abraçou o engano, que atou-lhe os pés,

Roubou-lhe a perspectiva de céu.

Caminha em solidão.

Morre aos poucos em sequidão.


De seus grilhões pode se libertar.

Basta ouvir a sutil batida no coração

E não a negar.

Essa é palavra que renova a vida,

Esperança ecoada pela voz mansa

Que chama lá fora.

Deseja salvar, libertar.


Há outros incontáveis prisioneiros.

Por aqui hão de passar.

Dominados em suas correntes,

Quem a Verdade lhes soprará?

Leão de Judá® (Leão de Luzern) - em 11 de Março de 2008



Contando com a colaboração do amigo Marcos Moreira na parceria com fotos, saiu esse texto abaixo, baseado na estátua "The Dying Lion" que homenageia soldados suiços localizada na cidade de Luzern.



Ele se entregou por nós

E o consideraram vencido.

Tornaram a tentar a Deus.

Não se lembraram do Seu poder.


Feliz aquele que tem o Deus de Jacó, o Leão de Judá por seu auxílio,

Cuja esperança está no Senhor, seu Deus.

Porque, com amor, derrotou a morte

E aos seus é fiel.


Ali, despedaçou Ele os relâmpagos do arco,

O escudo, a espada e a batalha.

Conhecido é Deus em toda terra.

Salvação só em Cristo se acha.

SIM ao amor® - em 28 de Fevereiro de 2008



SIM ao amor que se doa.
SIM ao amor que se entrega.
SIM ao amor que verdadeiramente se revela.
SIM ao amor que se reconhece nAquele que tornou possível o conjugar do verbo amar,

pois Ele é o próprio amor - JESUS CRISTO!!

Pra te adorar® - em 26 de Outubro de 2007


Meu coração fala
Coisas que nem sei descrever.
Meu Deus, tu as conhece,
Verdade do meu ser.

Minh’ alma, ao silenciar, chora
Lágrimas que nem sei por quê.
Meu Deus, tu as nomeia,
Orações do meu viver.

Minha vida,
Mesmo que confusa emudeça,
Nada te pode ocultar.
Meu Deus, tu a criaste.
Por ti está a clamar.

Se falo, se calo,
Se choro, se vivo,
Que seja pra te adorar.

Entre® - em 09 de Outubro de 2007


Vivo entre o sonho e a dor
De ser aquilo que ainda não sou:
Indivíduo pronto.
Ser absoluto.

Sigo entre o céu e o chão
Pela corrente da história.
Peregrino inconformado,
Ser pensante.
Ou apenas sonhador.

Nosso amor® - em 12 de Setembro de 2007


Não há verso mais lindo em poesia
Que o nosso amor
Descrito em sonhos, alegrias,
Histórias do melhor sabor.

Amor que se apresenta muito além
Do que é seu descrever.
Verso interminável,
Quem te dominará bem?

Não há verso mais lindo em poesia
Que Você e Eu,
Verdade maravilhosa de Deus
Que nunca perde a rima.

Versos e mais versos
Quero contigo construir,
Que seja doce poesia
Em todo nosso existir.


TE AMO!

Um ano não® - em 12 de Junho de 2007


O meu amor um ano não levou
Por tão bela flor desabrochar.
É presente que Deus plantou
Com esmero para eu cuidar.

O meu amor um ano não levou
Por doce estrela se encantar.
Tão sutil em minha vida deitou.
Aprouve a mim poemas mil dedicar.

O meu amor um ano não levou
Por ti, princesa, se entregar.
O sustento de meu coração derrubou.
Passaste tu a lhe alimentar.

O meu amor um ano não levou
Por lindos céus sonhar.
Em asas que Deus deu, voou.
Por outros tantos se aninhar.

O meu amor um ano não levou
Para tal menina amar.
Aos meus olhos Carol desafiou.
Agora e sempre estarão a te guardar.

O meu amor um ano não levou
Para ‘seu’ se chamar.
Cresce como o dia que passou
Para mais e mais se achar.

O avesso® - em 19 de Abril de 2007


Está tudo às avessas!
O sorriso sincero parece um dedo apontado na cara.
Os sentimentos são banalizados, desprezados.
E a vida, vendida tão barata.

O “bom dia” virou invasão de privacidade.
Respeitar é calar-se diante do outro.
E ai daquele que intentar o toque.
Mil julgamentos o condenarão.

O planeta habitado não esquenta. Congela.
As relações não se estreitam. Desfazem-se.
E a ninguém mais choca, comove.
A insensatez toma conta e a tudo desmonta.

Vive-se o avesso.
E os “ais” são ouvidos de longe.
Cada vez mais claros.

10x5® - em 29 de Março de 2007


É num canto 10x5
Que ele se esconde.
Entre fotos, livros,
Pedaços de si aos montes.

É num canto 10x5
Que ele se entrega.
Entre sonhos, desafios,
Até onde a janela enxerga.

É num canto 10x5
Que ele se descobre.
Entre letras e poemas
Um presente nobre.

É num canto 10x5
Que ele se mantém.
Entre dores, alegrias,
E com fé também.

É num canto 10x5
Que ele se declara.
Entre um verso e outro
O amor vem à baila.

É num canto 10x5
Que a coisa acontece.
Entre a pausa e o tempo
A obra aparece.

Aventureiro® - em 22 de Março de 2007


Passarinho que cansou do seu poleiro
Na árvore azul já não quer mais ficar.
Busca novo destino, vôo ainda incerto
Para sua vida acertar.

Passarinho aventureiro que sou,
Desejo pra bem longe me mudar.
Quero, solto dos meus trajes,
Voar... Voar...

Não compreendo sempre os intentos do meu Deus,
Para onde vai me guiar.
Ainda bem que me dá asas.
Posso Seu querer abrigar.

O cantinho seguro que almejo
Sigo voando a procurar.
O meu Deus vai me dando sustento
Dia a dia, onde posso pousar.

Brasis® - em 07 de Março de 2007


Brasil que se veste
Nas cores da bandeira
Quando a bola rola
Nos gramados do mundo.

Brasil que se veste de luto
Quando vê que não é bola que pinta,
Mas sujeira e mentira
Nos gramados da Esplanada.

Brasil que se veste de branco.
‘Modelo de diplomacia’.
Que recebe a todos
Com respeito e alegria.

Brasil que se utiliza dos panos
E, por debaixo dos mesmos,
Amontoa problemas.
Ignora a descrença.

Dois Brasis de um Brasil
Que precisam a Deus se render.
Mudança de rumo e justiça
Só Nele vamos ter.



* Charge retirada de "radioloandafm.wordpress.com"

Pelego® - em 01 de Março de 2007


Eu preciso de aconchego,
Do calor de um pelego
Pro meu corpo repousar.

É que eu não me agüento,
Meu trabalho é sonolento.
"- Dá pra me liberar?"

Espero sombra e sossego
Água gelada e doce de pêssego
Pra minha folga desfrutar.

Porém, sei que o meu sustento,
Meu cuidado e descanso
Só o Pai pode me dar.
Debaixo de Suas asas me deleito
Com Seu amor a me guardar.

O circo chamado Amor® - em 01 de Março de 2007


O meu coração virou criança.
Voltou à infância.
Só quer brincar.

O meu coração é só alegria.
Explode nele festiva gritaria.
Só sabe sorrir.

Que circo chegou fazendo tanta algazarra,
Desritmando a balada
Desse, agora, novo coração?

É o circo chamado AMOR
Que suas tendas armou
E não fará mais viagem.

Encontrou seu lugar,
Oportunidade para transformar
E calor para se propagar.

Essa menina (III)® - em 09 de Fevereiro de 2007


Ah! Essa menina...
Todo dia me conquista.
Cada vez mais eu a amo.
Meu pensamento ela sempre visita,
Sem dar descanso.

Nunca fujo desse encontro,
Pois é disso que eu mais gosto.
Ter tão perto a minha linda
Ah! É tudo o que eu quero!

Essa menina (II)® - em 7 de Fevereiro de 2007


Ah! Essa menina...
Ela adora um cafuné.
Arrepia quando passeio em sua orelha
Falando baixinho que a amo.
Se contorce com massagem no pé.

Bem que tenta me frear,
Me proíbe de falar.
Que difícil é calar tanto amor!

Tudo bem, menina linda.
Não perde por esperar.
Logo, logo, vou de novo te atacar!

A fonte® - em 07 de Fevereiro de 2007


A fonte parece secar,
Se esgotar.
Pingando seus últimos versos.
Algo ainda nebuloso
Devora minha porção de loucura,
Sonho e realidade.
Me afasta do descanso de escrever.
Que medo desse fim!

Torço pra que a nebulosa
Traga nova chuva,
Que regue de idéias minha porção.
Esperança!
Esperança!

Banho® - em 19 de Janeiro de 2007


Banho de céu.
Banho de sol.
Banho de mar.

Banho de cores,
De sabores.
Banho de sensações.

Banho do corpo.
Banho da alma,
Da imaginação.

Banho de sonhos.
Banho de planos,
Realizações.

Banho de amores,
Os maiores.
Só constatação.

Essa menina® - em 08 de Janeiro de 2007


Ah! Essa menina...
Quando eu olho pra ela, dá briga.
Ela me encanta, me hipnotiza.
Toda tímida disfarça,
Diz que não gosta.
Eu até dou refresco.
Mas não demora,
Volto à ativa.

Ela é meu descanso,
Minha alegria.
Ah! Essa menina...
É linda, linda, linda.
Muito linda.

Namoro® - em 12 de Dezembro de 2006


Namoro-alegria que encanta,
Me alimenta, extasia.
Namoro que vence o esperado.
Supera a utopia.

Namoro-surpresa
Beleza da bênção de Deus.
Que nos ensina, presenteia
Com amor lá do céu.

Namoro que busca o eterno,
Deseja ser “para sempre”.
Cada dia mais forte.
Cada dia mais certo.

Tarde cinza® - em 02 de Novembro de 2006


O que será de nós?
Assim ficaremos
Presos por palavras,
Soltos pela distância,
Amarrados pela saudade,
Compartilhando de uma tarde cinza?

O que será da noite
Se nos vermos em sua chegada?
Cinza não mais será.
Gosto terá
De abraço quente.
De beijo bom.

Mergulho® - em 30 de Outubro de 2006


Em ti mergulho.
Vou até o fundo.
Sem medo.
Os sentimentos são plenos.
Em ti me descubro.

Em ti me desafio.
Desatino.
Sem medo.
Teu mar é tão belo!
Eu piro!

Lá no profundo oceano quero morar.
Em ti me afogar.
Sem medo.

Som da fé® - em 17 de Outubro de 2006

O post de hoje é um presente, uma dedicatória aos amigos da Banda SondaFé - amigos queridos que abraçaram a loucura de aproveitar meus escritos para transformar em música. Idéia deles, que, um dia no passado, me surpreenderam ao dedilhar o violão e cantarolar um verso que não me era estranho, era meu. Nunca imaginei tal coisa!
Escrevi esse texto em homenagem à banda. Virou música...
Sigo na admiração por essas vidas, pelos seus dons, por essa banda. Que prossigam como instrumentos para levar boas-novas, boa música ao mundo!




A paz é a minha tenda.
O amor de Deus, a minha força.
A fé é música.
E a Palavra, luz para o caminho.
As lutas são minha realidade,

Disso eu sei,
Mas a vitória é uma certeza.

Essa vida quero viver
Seguindo a Jesus.

Vida pra mim, pra você,
Vivendo em Jesus.

Ao som da fé eu vou lutando.
Ao som da fé sigo sonhando.
Ao som da fé Deus vai me moldando.

Assim quero viver
Ao Som da fé.

Sua resposta® - em 30 de setembro de 2006


O sorriso não estampa mais seu rosto.
Dos seus olhos, o brilho que se acha
É arte do reflexo da chuva que cai lá fora,
Que as árvores choram.

Jesus, você conhece?
Sua resposta Ele é!

De braços erguidos você se encontra
Procurando romper a noite
Que toma conta do seu ser.
Exclama atenção de um que te socorra.

Jesus, você conhece?
Sua resposta Ele é!

Sua alma sede não mais terá.
Sua vida de júbilo se encherá.
Alegria plena, eterna possuirá.

Jesus, sua resposta Ele é!

Flor® - em 05 de setembro de 2006


Não existe flor mais linda
Do que aquela que adorna a vida
No canteiro de nosso coração.

Flor que pinta o dia,
Perfuma a história,
Traduz emoção.

Eu encontrei a minha.
Flor sem nome de flor.
Carolina Helena, minha doce alegria.
Perfume que traz calor.

Singela forma de Deus
De dedicado amor.
Beleza dos caminhos meus.
Flor mais bela que toda flor.