A vontade soberana de Deus® - em 20 de Fevereiro de 2006


Sonhos são vistos em meio a nuvens de algodão. Aparecem sempre belos e beirando à realidade. Desejo de nosso coração.
Mas é bom ficar atento. Fácil, fácil viram poeira, destruídos por ventos que não queremos enxergar, que não esperamos.
Ventos que confundem nossa esperança e faz dela dúvida dolorosa, verdadeira agonia.
E a vontade de Deus, qual será? Para quando será?
De onde nascem tantos planos e sonhos, alimentados e nutridos por nós, projetados como grandes e belos e que, de repente, por um bem-encaixado sopro, são sufocados em um amontoado de “novidades” nem sempre bem recebidas?
Isso não foi gerado, antes, no coração de Deus?
Desistiu Ele de levar adiante a idéia? Será possível?
E a vontade de Deus, qual será? Para quando será?
Será capaz o sonho de suportar vivo esse peso que ganhou sobre si ou será, enfim, apagada a sua chama?
E o sonhador, que imaginava ter chão quando pisava em nuvens, e se vê diante de um diferente trabalho, uma enorme faxina... Será capaz de se erguer para essa obra ou será, enfim, apagada a sua chama?
Sabe, porém, o sonhador que a sua força vem do Senhor e as respostas que o afligem, em tempo, receberá.
Qual será? Quando será?
Da soberana vontade de Deus dependerá.

Mil amores® - em 16 de Fevereiro de 2006


Cores e amores
Cores de amores
Amores e dores
Dores de amores

Cores de mil amores
Amores de mil cores
Amores de mil dores
Dores de mil amores

Cores e dores
Dores de cores
Dores de mil cores
Amores de mil amores