Recorte® - em 12 de maio de 2006



i8Um novo ano se aproxima e nos traz novas idéias, projetos, sonhos, novos fatos e mudanças. Talvez ainda seja tempo de abrir o 'armário' do seu interior e, olhando atenta e sinceramente, buscar aquilo que precisa de retoques ou de inteira transformação, renovação.
Use bem desse momento seu com você mesmo e abrace 2009 de maneira diferente da qual você se despede de 2008.
Feliz 2009 pra você!



Recorte, enfeite, cole.
Pinte, inverta, mude.
Brinque, amasse, copie.
Estique, dobre, rasgue.

Transforme o que está
Ao seu alcance.
Inove, descubra, invente.
Imagine o tamanho
De sua criatividade.
Dê nome à sua obra-de-arte.

Crie, construa, desmanche.
Transforme o que está
Ao seu alcance.

Tempo V® - em 08 de Maio de 2006


Voa a história,
Voam os dias,
Voam as folhas.

São anos vividos,
Textos escritos,
Infinitas as dúvidas.

Quanto tempo levo?
Quanto tempo uso?
Quanto tempo dura?

Se vão os encantos,
Se vão as memórias,
Se vão os amigos.

Quanto tempo leva?
Quanto tempo uso?
Quanto tempo dura?

Se vão as feridas,
Ficam as marcas.
Vai a saúde,
Onde fica você?

Quanto tempo levo?
Quanto tempo resta?
Não dura nada.
O tempo acaba.

H's (Agás)® - em 08 de Maio de 2006


Nas costas de minhas mãos
Dois agás eu vejo.
São bases de uma ponte
Que as mãos ainda não encontraram.

Dois agás sozinhos
Dois agás pulsantes
Agás desejantes
De um abraço que os aqueça,
De um abraço que os proteja,
Que os alcance.

Por mais longe que eu ouse levá-los,
Não é fácil haver enlace.
Permanecem suspensos, pendentes,
Dependentes.
Não encontram suporte,
Não encontram calor,
Não encontram amantes.

A vez, então, é de ser anunciante:

Há mãos dispostas, apaixonantes?

Você® - em 5 de Maio de 2006


Toda vez que olho para o céu
Me lembro de você.
Viajo em pensamentos
Por entre as nuvens passeando.
Procuro por ti no meio delas,
Mas o que encontro
São só lembranças.
Seus olhares, os sorrisos,
Nossos momentos.

Você não está no céu,
Mas o céu me leva até você.

Pena não poder tocar o céu,
Encontrar lá sua mão
E te trazer pra cá,
Pra bem perto de mim.

Bem que podia chover!
Será que você não se derramaria por aqui?
Ah! Seria maravilhoso!
Correria para fora
Pra senti-la tocar o meu rosto,
Ser lavado com sua presença,
Pra bebê-la com toda a sede.

Me rasgaria
Pra que você alcançasse
Meu coração,
Deixasse de ser apenar sonho e pensamento,
Passasse a ser real
E a minha cabeça inundasse
Só de você.

Quem dera fosse possível
O céu se abrir pra esse desejo.

Continuo aqui desse lado,
Entre cores e desenhos,
Buscando no alto
Nova lembrança, nova oportunidade.
Mais uma pontinha de você.