O avesso® - em 19 de Abril de 2007


Está tudo às avessas!
O sorriso sincero parece um dedo apontado na cara.
Os sentimentos são banalizados, desprezados.
E a vida, vendida tão barata.

O “bom dia” virou invasão de privacidade.
Respeitar é calar-se diante do outro.
E ai daquele que intentar o toque.
Mil julgamentos o condenarão.

O planeta habitado não esquenta. Congela.
As relações não se estreitam. Desfazem-se.
E a ninguém mais choca, comove.
A insensatez toma conta e a tudo desmonta.

Vive-se o avesso.
E os “ais” são ouvidos de longe.
Cada vez mais claros.

10x5® - em 29 de Março de 2007


É num canto 10x5
Que ele se esconde.
Entre fotos, livros,
Pedaços de si aos montes.

É num canto 10x5
Que ele se entrega.
Entre sonhos, desafios,
Até onde a janela enxerga.

É num canto 10x5
Que ele se descobre.
Entre letras e poemas
Um presente nobre.

É num canto 10x5
Que ele se mantém.
Entre dores, alegrias,
E com fé também.

É num canto 10x5
Que ele se declara.
Entre um verso e outro
O amor vem à baila.

É num canto 10x5
Que a coisa acontece.
Entre a pausa e o tempo
A obra aparece.

Aventureiro® - em 22 de Março de 2007


Passarinho que cansou do seu poleiro
Na árvore azul já não quer mais ficar.
Busca novo destino, vôo ainda incerto
Para sua vida acertar.

Passarinho aventureiro que sou,
Desejo pra bem longe me mudar.
Quero, solto dos meus trajes,
Voar... Voar...

Não compreendo sempre os intentos do meu Deus,
Para onde vai me guiar.
Ainda bem que me dá asas.
Posso Seu querer abrigar.

O cantinho seguro que almejo
Sigo voando a procurar.
O meu Deus vai me dando sustento
Dia a dia, onde posso pousar.