Pores-de-sol® - em 28 de Julho de 2006


Contemplei vários sóis
De um mesmo sol.
Contemplei vários sóis
De um mesmo Deus.

Belos pores-de-sol.
Inesquecíveis despedidas.
Dia que dizia à noite:
- "Adeus".

Arte no firmamento.
Ondas, cores, desenhos
Que tomam conta do olhar.
Tomam posse da alma,
Da consciência, do tempo.

De tudo me esqueci.
Ao céu quis me fixar.
Visto do alto
Ou daqui de baixo,
Obras-de-arte divina vi.
Descanso pra tanto.
Guardei.

3 comentários:

Geyzon Reis disse...

Esse poeta é demais!:)
Quero ser o empresário...e vamos logo mandar publicar o livro! rsrs
abraço

carol_hcr disse...

Lindo!

AMO.

Anônimo disse...

Filipe, a linguagem poética é uma das melhores maneiras de garantir que a alma seja desnudada na presença de todos sem constrangimento, sem impedimento. Deus continue a semear seu coração e o Seu espirito a inspirar suas poesias em forma de oração, canção, ou mesmo inquietação... Um forte abraço, Leides