Peça mágica® - em 22 de Maio de 2006


Caneta que leva,
Pra longe me lança
A pensar em centenas de temas,
Em milhões de fotografias,
Recortes da vida,
Que a memória guardou.
Que permite o registro
Do que a minha história marcou.

Peça mágica
De finito poder,
Pois muito lhe escapa,
Mas de grande encanto,
Pois se dedica ao que cabe
No parêntesis da criatividade de um poeta.

Objeto que vagueia
Papéis, pensamentos.
Passado, presente, futuro.
Fantasias e verdades.
Possíveis da mente humana
E até na insondável beleza de Deus.

Coisa frágil
Que não abraça muitas páginas,
Mas carrega vida
Por muito tempo.
Muito além até de nosso tempo.
Eis a mágica da peça.

4 comentários:

Pricilla Alice disse...

Muuuuuuuuuuuuuuito Booooooooom!
Aí eu fico pensando...
imagina só a grandeza de Deus, a magnitude...por tudo isso e um pouco mais...

=]

;**

carol_hcr disse...

Que lindo, meu amor!!!
Só mesmo um grande poeta consegue transformar uma simples caneta em algo tão lindo e importante como você fez nesse texto! Parabéns pelo talento!
Te amo!
Beijos

Mateus disse...

Mto bom o texto mlk! nunca tinha pensado tanto sobre uma caneta xD

Filipe Moura disse...

olha hagen...o poeta faz da caneta a sua história que perdura...vc faz o mesmo...está fazendo com que se alastre na história o relato do que a caneta faz...ela merece. Especialmente a sua caneta. Gostei muito da seguinte estrofe:

Pois muito lhe escapa,
Mas de grande encanto,
Pois se dedica ao que cabe
No parêntesis da criatividade de um poeta.

eu entendi o seguinte...o bonito é a devoção da caneta ao poeta e tudo a que ele tem em sua mente. Apesar do poeta se deixar coisas escapar da caneta (por ter suas próprias limitações. Talvez a caneta se realiza no seu "sacrifício", por se dedicar ao poeta ela passa a "muito lhe escapar"...?? n sei se ficou confuso o q escrevi...

gostei hagen..mto bom