Lua® - em 19 de Junho de 2006


Lua
Rua pura
De poeira cósmica.
Passeio dos olhos
Dos apaixonados.
Brilho que não pode ser roubado
Pelo mais ousado dos astronautas.
Alvo de dedicatórias.
Tão desejada pela noite
Quanto o mel pela criança.

Lua,
Vista pura
Em noite escura e nua,
És formosa
De qualquer quadrante.
És sempre cativante
Ao enfeitar o negro manto,
Seja qual fôr sua variante.

Lua cheia,
Minguante, crescente,
Nova.
Sempre nova.
Lua.

2 comentários:

Ricardo Moura Lopes Coelho disse...

Cabra, vou declamar essa pra minha mulher e só vou dizer que é sua depois de alguns dias, pra não atrapalhar o encnato...srsrs

Abraço,
Ricardo

Carol Rattacaso disse...

Lindo texto!

AMO a lua! AMO vc!

Beijos!

Carol Rattacaso